quarta-feira, 25 de junho de 2008

A insustentável leveza dos ovários...

Que bom!
Graças às "revoluções femininas/feministas" - um pouco por dia - já posso queimar meu sutiã, votar, dirigir, entre outras façanhas admiráveis.

Contudo, uma coisa ou outra ainda traz certa complexidade.

A mulher ainda não consegue:

- Manifestar raiva, sem ser uma "descontrolada";

- Manifestar amor, sem ser uma "descontrolada";

- Manifestar desejo, sem ser uma "descontrolada";

- Manifestar medo, sem ser uma "descontrolada";

- Comer, sem ser uma "descontrolada";


- Ter TPM, sem ser folclórica.

... mas nada mais sagrado que o berço da vida que cada uma dessas descontroladas leva dentro de si, é o que dizem.

Por ora, ainda não me faz sentido. Talvez sejam os ovários...

segunda-feira, 23 de junho de 2008

Cavalos, peões e reis...

Sim, tenho lido bastante ultimamente... Tornar-se "mestre" tem demandado um bocado...
Vi dois homens conversarem com ares de muita seriedade, enquanto uma jovem empolgadíssima fazia o possível para participar da conversa.
Eis que o Conde Altamira desfere o golpe:

"Assim é o mundo; é uma partida de xadrez"

...e eu ouço sair de boca alheia aquilo que sempre quis dizer e não sabia encaixar as palavras. E em menos de um milionésimo de segundo eu penso

"...parce que je ne comprends pas de regles."